Monumento aos Pracinhas: homenagem aos brasileiros que lutaram a 2ª Guerra Mundial
Monumento aos Pracinhas: homenagem aos brasileiros que lutaram a 2ª Guerra Mundial


É impossível não notar este monumento à
memória da nossa participação na 2ª guerra mundial, aqui atrás de mim. Preste atenção nessa obra de arte:
ela mostra a marinha, a aeronáutica e o exército. São as nossas três forças. Em
1942, Getúlio declarou guerra. Em 1944, nossos soldados foram pra Itália. E essa ida não foi fácil não. Não estávamos preparados. Nossas armas eram obsoletas, vários equipamentos eram da primeira guerra mundial, o uniforme
não tinha qualidade necessária. Mesmo com esses e muitos outros desafios,
nossos pracinhas foram ao solo europeu lutar contra o nazifascismo. A ideia de erguer um símbolo
condecorando a história dos pracinhas, daqueles que lutaram, foi desse homem aí: Marechal Mascarenhas de Moraes, comandante da Força Expedicionária Brasileira. A
construção começou em 1957 e durou pouco menos de três anos. Em dezembro de 1960, a Força Aérea Brasileira trouxe urnas com os restos mortais dos
nossos soldados enterrados em solo europeu. Eles foram trazidos para cá, para
este mausoléu, ao som de aplausos. São 468 jazigos dos soldados sepultados
no cemitério brasileiro da cidade de Pistóia, na Itália. No lado externo fica
a urna do soldado desconhecido, que representa aqueles que não foram
identificados. Cerca de mil e quinhentos militares brasileiros
perderam a vida na segunda guerra mundial.
Muitas pessoas até hoje acreditam que nossa participação foi uma qualquer. Não é verdade: o controle de Monte Castelo não foi tranquilo. Nós tivemos inúmeros, inúmeros conflitos. Nosso país enviou mais de 25 mil homens
que lutaram pela Força Expedicionária Brasileira. Só a conquista de Monte Castelo
nos custou 400 soldados e inúmeros feridos. A tomada de Montese, pouco conhecida mas fundamental estrategicamente, ajudou a riscar as defesas nazistas. Mais de 14 mil alemães se renderam aos brasileiros.
Aqui está um painel de azulejos, homenagem aos civis e militares mortos
no mar. Temos que lembrar que mais de 30 navios
brasileiros foram atacados por submarinos nazistas, matando mais de mil
pessoas. No museu, você conhece o painel “Guerra e Paz”, do Anísio Medeiros, uma preciosidade artística. No museu,
você tem contato com roupas, com armas, com detalhes que nossos soldados viveram
naqueles complicados de dias de guerra. O monumento nacional aos mortos da 2ª
guerra mundial, no Aterro do Flamengo, não poderia ser todo contado em apenas um
vídeo. É impossível. Não adianta cobrar,hein? A todo momento, você descobre algo
revelador. A visita é grátis e o conhecimento é
enorme. A vista, ah, a vista é essa aí… tá bom pra você?

2 thoughts on “Monumento aos Pracinhas: homenagem aos brasileiros que lutaram a 2ª Guerra Mundial”

  1. Pablo Gabriel Monteiro de Santana says:

    Só temos a agradecer pelo excelente trabalho que vem fazendo!

  2. Hebert Max says:

    O vídeo ficou show de bola! Forte abraço e bom trabalho

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *